31.1.11

Amanhã (2)

Volto ao activo. Para já por duas semanas, depois logo se verá. Sim, tinha saudades de preparar tudo na noite anterior, para a manhã seguinte. Não, não tenho saudades de me levantar às 7h e abandonar o casulo com as manhãs ainda tão frias. Sim, tenho saudades das viagens de autocarro, pela Avenida do Brasil, de phones nos ouvidos e a ler um livro. Não, não tenho saudades do meu trabalho. Sim, quero completar as minhas responsabilidades e recomeçar. Quero novos hábitos, novos desafios, novas etapas. E quero ver o poder da oração surgir.

Nutro um fraquinho

Por coisas às bolinhas. É a vida!

30.1.11

Amanhã

...será um dia, muito provavelmente, decisivo. Estou tranquila porque sei em que Mãos me coloquei e que o que quer que aconteça, será certamente o melhor. Mas e se a Sua vontade não for a minha?

Número um

Fiz a minha primeira fotografia panorâmica. Tem algumas imperfeições que quero corrigir, há medida que for fazendo novas tentativas. Ainda assim, para mim está linda e diz-me muito: o Tejo e Lisboa. Isto para não falar do facto da montagem ter tido uma mãozinha de um programador informático bastante competente! Postei-a no estendal de fotos aqui ao lado.
{quando o Tejo beija Lisboa}

Há sábados assim:

Como o de ontem foi. Por entre pingos de chuva, o cinzento do céu alternado com um azul primaveril, o vento do rio, as investidas do sol por instantes e muitas nuvens bonitas. A margem sul será sempre uma boa escolha para uma escapadela. Se bem que há coisas que se constroem em qualquer lugar.
{venham mais sábados destes, que eu preciso}

28.1.11

Casais do século XXI

Uma das coisas que me choca e entristece, é ver a facilidade com que os casais, em geral, se divorciam. Choca-me ainda mais, quando casais que me são próximos, passam por isso. 
Sim, é um mal da sociedade, como tantos outros, e incomoda-me que venham psicólogos defender que o que importa é o bem-estar de ambos e se não funcionar, há que encarar o divórcio com naturalidade. Só lamento que não seja claro e evidente para a grande maioria dos casais de hoje em dia, que este é um princípio redondamente errado. Que é feito do compromisso, da escolha que se faz para toda a vida, da partilha mútua, da responsabilidade em se investir no relacionamento, de ultrapassar (em conjunto) os desafios que se vão colocando? A leviandade com que se encara este assunto, é a mesma que pauta muitos outros. Porque o que interessa é o bem-estar individual e que se lixe o compromisso no altar. Custe ou não admitir, é uma questão de princípios e valores e a sociedade deturpou-os por completo. Mas a sociedade somos nós e é nossa a responsabilidade de garantir que a próxima geração não acabará com o casamento, enquanto acto instituído e com tudo o que isso implica.

Não, ainda não sou casada, e até poderia estar a falar de barriga cheia, se não tivesse os meus valores bem definidos e aprendido, rodeadas de bons exemplos, que o que Deus une deve ser inquebrável.

Taras & manias

Comer arroz, muito arroz, com tudo e mais alguma coisa. As vantagens são inúmeras, mas só o facto de me fazer o estômago feliz, para mim é suficiente.

Ora bem

Aqui ao lado, fala-se de doces, cupcakes e afins. Eu não sou muito dada a doçaria, aquilo que gosto é muito específico e a lista não é muito alargada. Confesso que, quando se fala em cupcakes, como estes por exemplo (coloridos e lindos de morrer), a única coisa que me ocorre é pegar na minha nikon e fazer fotografias bonitas! Não chego a ganhar apetite para lhes dar uma trinca. Para mim, cupcake que se coma, não pode ir além disto, nem ter cá chantilly's, cremes, etc. O meu corpo até agradece.

Acordar...

...e dar de caras com estas cores. Até nem me importo que esteja cinzento, porque o arco-íris chega para alegrar o céu em manhã de Inverno.

"Os céus anunciam a sua justiça e todos os povos vêem a sua glória."
{Salmos 97.7}

27.1.11

Hum...

Fazer arrumações e mandar tralha para o lixo? Deliro! Sobretudo quando, neste quarto que é a minha casa ao mesmo tempo, já não existe nem um cantinho para mais nada e corro o risco de, qualquer dia, ele rebentar pelas costuras.

Acontece que...

...estava sol e as casas pareciam caixas de cartão, pinceladas daquela luz quente. Mas, literalmente, de um segundo para o outro, pressinto uma luz estranha dentro de casa. Mal me aproximo da janela, deixo escapar um "oh!": o céu tinha enegrecido de uma forma tal, num ápice friorento, que em poucos segundos a chuva escorregou nuvens abaixo. O sol, no entanto, deixou-se ficar a encharcar-se tranquilamente. Se se constipa não temos sol por mais uns tempos. E sim, isso é um problema!

!

Com a linda foto do blog da Selma.

F

Fiz umas pequenas alteração, aqui ao lado, aproveitando que estou fã do meu Pola.exe. Além disso, este Inverno foi mais cinzento que outra coisa e o meu F não lhe ficava atrás. Como já é hábito, tenho esta necessidade inexplicável de mudar de "ares" de vez em quando.
{agora sinto-me mais leve}

26.1.11

"Há vitórias que exaltam, outras que corrompem; derrotas que matam, outras que despertam."
{Saint-Exupéry}

Definição de jazz

{Encontrei-a aqui}

Música pela manhã?

Sempre! É das primeiras coisas que faço ao acordar: espalhar sons pela casa. Hoje fui vasculhar ali ao lado e encontrei isto, na caixa da tralha. É bom para começar o dia.

25.1.11

Defeito de fabrico

Sou friorenta, é um facto. Mas isto torna-se estupidamente evidente (e difícil), quando acumulo três máquinas de roupa para lavar e outras três no estendal por apanhar, passar e dobrar. É que tenho muito frio e não consigo descolar-me do aquecedor ...quanto mais sair do quarto!

Pola

Tenho um novo brinquedo. Confesso que é viciante e não estou a conseguir parar de "polaroidar" as minhas fotos. Prova disso é o meu Fotogamia, que não me deixa mentir. E não, não é uma polaroid a sério, por enquanto é só um programa, chamado Pola.
{obrigada P}

Loja Humana

Hoje descobri uma destas lojas. São arrumadinhas e as roupas, para além de baratíssimas, estão em boas condições. Se não souberem o que fazer à roupa que têm em casa, que ainda está boa, mas que já não querem, esta é uma solução óptima!

10h30

Desço a rua a caminho do metro, cruzo-me com um senhor nos seus 50 e oiço: "Força camarada!!"
...lol...

24.1.11

Knitting

Comecei a fazer um cachecol, com uma lã linda de morrer, para uma menina de quem eu gosto muito chamada C., e que será daqui a uns tempos, se Deus permitir, minha sobrinha. É azul, a cor favorita dela, a combinar com os seus olhos. Quando estiver concluído, satisfaço a curiosidade aos demais.

Para hoje:

Hoje acordei com esta passagem na cabeça. Se logo pela manhã ela foi tão útil e pertinente, ao fim da tarde apercebo-me que era exactamente o que eu precisava de ouvir.

"Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que alimento, e o corpo, mais do que as vestes? (...) Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal."
{Mateus 6.25 e 34}

Nutro um fraquinho

...por estas bolachas! São qualquer coisa e se mas colocam à frente, não garanto parar antes de acabar o pacote.

23.1.11

Já disse que...

...deliro com as sestas de domingo à tarde? Então em dias de frio...bem!

Do amor

"O casamento feliz não é nem um contrato nem uma relação. (...) É uma criação (...) é uma cultura secreta de hábitos, métodos e sistemas de comunicação. Todos foram criados do zero, a partir do material do eu e do tu originais."

Mostraram-me, há dias, este artigo. É uma síntese para alguns e uma utopia para outros. Pessoalmente, concordo com algumas ideias que considero até excepcionais, pela sua vertente prática, mas outras não. O que só comprova que, tal como refere o autor do artigo, as questões do coração são uma criação própria, à medida dos seus intervenientes. É ler.

O "tempo aberto"...

...vestiu-se de verdes. Acho que a ideia é sacudir a palidez deste Inverno. Óptima ideia!
{Obrigada Meg}

Uma coisa que me deixa desconsolada?

Chegar a casa e encontrá-la silenciosamente adormecida neste frio imenso...

22.1.11

Um novo ar

É muito ligeiro, até porque quando chegar a Primavera, volto a pincelar o meu Sinestesia com os tons da estação. Mas enquanto o Inverno anda mal-disposto e gélido, preciso de aquecer levemente as paredes brancas deste blog. Já me estava a sentir desaconchegada.

Verbo: amanhecer

Coimbra acordou esparramado ao sol.
Convidou-me a ficar por cá e descobrir os tons da tarde.
Mas, contra a minha vontade e por deveres cívicos, terei que redescobrir os tons da capital.

21.1.11

Hoje está exactamente como eu gosto dos dias de Inverno. Frio, sol e céu azul. Por isto {e muito mais}, hoje acordei radiante. Só me apetece ir para a rua, acompanhada da minha nikon.

Último dia de campanhas

É acordar às 8h30 da manhã, com tambores e música de feira, olhar pela janela e ver uma multidão com bandeirinhas de Portugal. Já chega! Vamos lá a votos.

Eu também

"I know the one who holds the stars in the heavens, in the palm of his hands"

20.1.11

E...

...haja tinteiros e resmas de folhas para tudo o que tenho por imprimir e ir direitinho para o respectivo monte, denominado: "Por ler". Em seguida, haja cabeça para ler tanta folha, para eu, designadamente: "Dar em louca".
Confesso que só agora estou a tomar plena noção da quantidade de trabalho e do longo caminho que tenho pela frente. 
{Ó tese, tanto que eu te subestimei.}

Briefing

Eu-só-sei-que-amanhã-tenho-um-comboio-para-apanhar!

19.1.11

"Tornas-te eternamente responsável por aquilo que cativas."
{Antoine de Saint-Exupèry}

Para não variar

Começa a aborrecer-me o facto de todos os dias acordar e olhar sempre para o mesmo céu, nos seus tons invariavelmente cinzentos... Alguém me empresta um pincel, se faz favor? Caso contrário, terei de convencer-me que hoje será um dia maravilhoso
.
.
.
Há dias em que as palavras não são suficientes para contar as nossas histórias...



18.1.11

Um dia destes...

{da ervilha}
...quando tiver mais tempo, vou por a minha mãe a ensinar-me como fazer destas coisinhas.
É que em dias de Inverno como estes, é delicioso andar com meias de lã pela casa. Além disso, tenho tantos novelos de lã, tantas cores e texturas, que não pode ir tudo para cachecóis, xailes ou mantas! 

Fases

A minha relação com os blogs {sinestesia e fotogamia} resume-se a dois momentos:
1. aqueles em que tenho assuntos publicamente partilháveis, mas falta de apetite para escrever;
2. aqueles em que tenho muito apetite para escrever, mas poucos assuntos publicamente partilháveis...
...sendo que me encontro, recentemente, na segunda fase. 

Amanhã? Não sei...

É imperativo

...ORGANIZAR!

17.1.11

Amanhã

...recomeço a tese! Haja coragem, motivação e responsabilidade. Tento convencer-me que o que custa mais é o recomeço, até apanhar o ritmo. Depois é pensar em tudo o que vou poder fazer quanto a tiver terminado. Não posso adiar mais este assunto, pois já tenho outros projectos e planos na manga. A vida não parou, eu é que abrandei.

Apresento...

...o melhor amaciador de roupa que alguma vez conheci. Esta é uma rubrica claramente publicitária, mas o amaciador Essência nutritiva, da marca Dia%, tem que ser muito e bem publicitado, para que nunca seja retirado do mercado! Eu explico:
1. que cheiro suave...;
2. roupa macia;
3. dá para 54 lavagens, 2L;
4. muito em conta, 1.70;
5. resultados duradouros.

Para mim é suficiente. Estou rendida e deixei-me de Quanto's.

16.1.11

Verbo confiar

Não sou de grande confidências, no que toca às minhas partilhas pessoais, mas se há pessoa que merece e em quem deposito toda a minha confiança é a minha mãe. Dou por mim a pensar que gostaria, um dia quando a mãe for eu, de conseguir construir a mesma amizade que a minha construiu comigo. Por mais estranho, improvável e não recomendável que vos possa soar, para mim não o é. Quem mais digno de confiança, do que a pessoa que me gerou, cuidou e conhece há anos a fio, que a minha mãe?
Sei que nem todas são iguais e tenho plena consciência que fui abençoada com a que Deus me deu, mas a primeira a saber das minhas alegrias, euforias, medos, queixumes e preocupações é ela. É que confiança com oração se paga {neste caso}, e eu sei que melhor amiga que esta não há.

Domingo {2}

Curiosamente e no seguimento do meu post logo pela manhã, hoje cantou-se um dos meus hinos favoritos. Daqueles que por mais vezes que cante, consegue sempre arrepiar-me pelo seu conteúdo e pela história que tem. 
Hino 398
Sou Feliz

Se a paz a mais doce me deres gozar,
Se dor a mais forte sofrer ,
Oh! seja o que for, Tu me fazes saber
Que feliz com Jesus sempre sou!

Sou feliz com Jesus!
Sou feliz com Jesus, meu Senhor!

Embora me assalte o cruel Satanás,
E ataque com vis tentações,
Oh! certo eu estou, apesar de aflições,
Que feliz eu serei com Jesus!

Meu triste pecado, por meu Salvador,
Foi pago de um modo cabal;
Valeu-me o Senhor, oh! mercê sem igual!
Sou feliz! Graças dou a Jesus!

A vinda eu anseio do meu Salvador;
Em breve virá me levar
Ao Céu, onde eu vou para sempre morar
Com remidos na luz do Senhor!

{é um hino com muitos pontos de exclamação, combina comigo!}

Domingo

Sabemos que somos felizes quando nos parece que o sol brilha à janela, em dias de chuva e nevoeiro. Só a Ele devemos isso, portanto, let's worship!

Brief note:

Estou apaixonada. 
Mais a cada manhã.

Isaías 55.6-8

Enquanto remexia em alguns ficheiros, meio perdidos pelo computador, dei de caras com este versículo, que marcou a minha ida à Irlanda em 2006, durante duas formidáveis semanas.
Foram-me colocados vários desafios, dentre os quais ensinar a muitas criancinhas este versículo e fazer com que elas voltassem para suas casas, no final da semana, sabendo-o de cor.

Leio e recordo com saudade:
"6 Seek the Lord while He may be found, call opon Him while He is near. Let the wicked forsake this way, and the unrighteous man his thoughts. Let him return to the Lord, and He will have mercy on him; and to our God, for He will abundantly pardon. For My thoughts are not you thoughts, nor your ways My ways, says the Lord."

14.1.11

Amanhã podia ser Maio!

Acordo com as janelas embaciadas e cheias de gotas...mais um dia gelado.
Vou ao facebook e deparo-me com o Verão:
Bem que amanhã o dia podia acordar e ser Maio! Este frio não combina comigo e desassossega-me. Estou a precisar de andar mais leve. No entanto, mal me recordo das recentes intempéries na Austrália, o sonho fica por aqui e calo-me bem caladinha. Portugal, pobre e falido, ainda é um paraíso à beira-mar plantado. 

Verbo costurar

Há uns anos, quando ainda vivia no Alentejo, em casa dos meus pais, havia tempo e instrumentos para eu costurar conforme a minha imaginação. Desde roupa, almofadas, malas, etc., etc., criava o que me dava na telha. Desenhava rascunhos dos modelos que me vinham à cabeça, escolhia os tecidos, dentre a farta colecção da minha mãe e punha mãos à obra. 
Nos últimos meses, as saudades de costurar andam a crescer, manhã após manhã. Eis o meu problema: a linda máquina de costura, que é da minha mãe (pode ser que venha a ser minha!) vive a uns 85 km de mim. Resultado...tenho um caixote enorme com tecidos a aguardar os meus cuidados. Tento consolar-me com a certeza que um dia, quando arranjar a minha casa, terei um pretexto para me lançar a tanto tecido e encher a minha casa de coisas bonitas, como estas.

{Vou continuar a cultivar a paciência}

Foi assim...

...o Natal de 2010, nas suas cores. 
Por aqui a história conta-se mais comprida.

13.1.11

Pois

Ter um pai pastor, é ter uma concordância bíblica, em pessoa, sempre à mão.
Gosto! (mas faz de mim preguiçosa)

11.1.11

Recordo:

Vale a pena orar e esperar. Não o digo de ouvir, digo-o de saber. 
{foi a lição de minha vida}

8.1.11

Hoje.

O Alentejo amanheceu molhado e ventoso, esquecido no Inverno, vestido com os tons da estação. É, para mim, improvável acordar em sorrisos, quando o céu está de mau humor. 
Com a lista de tarefas na mão, agasalho-me para o frio e deixo a imaginação a dormir no calor e conforto da minha cama.
Hoje era dia de me cobrir de mantas, de beber muito chá e ver fotografias ou filmes.

Mas não, vamos lá a isto. 

7.1.11

Eu explico:

A simpática erva cidreira dá-me uma vontade de cozinhar!! Ai.

Acordo e vejo...

...que ganhei mais espaço no blog! De margens alargadas, sinto-me mais arejada e com mais vontade de escrever.
Obrigada P. =)

The beginning

Comecei, esta noite, a escrever as nossas memórias. O nosso diário de bordo. Não hão-de sobrar páginas, garantidamente.

6.1.11

da Lisa Ekdahl

"...cause I'm only human, and you are so divine."

5.1.11

chove sem parar, naquele burburinho de gotas a escorregar pelos vidros.
as janelas lavadas em chuva e pincelam-se nos tons da noite.
deste lado, as notas são estas.
deixo a tempestade lá fora e espraio-me no oásis cá dentro.

Gostar de fotografias antigas (1)

Ir a casa tem sempre vantagens. Para além de ver o meu estômago deliciar-se com os meus pratos favoritos, a minha mãe tem sempre coisinhas para mim. São mimos de toda a espécie e que ela sabe bem que me põem feliz.
Avô, Índia
O primeiro dia deste ano só trouxe coisas bonitas {tu sabes}, uma delas foi rever as fotos antigas que a minha mãe guarda ciosamente numa caixa enorme de cartão. Consegui ficar com algumas relíquias, como esta. O original é incomparavelmente mais bonito e os tons adivinham viagens e histórias por contar.

Só sei que a minha caixa de fotografias continua a engordar.

4.1.11

Tenho a triste noção...

...que a vontade de fazer a minha tese é como a riqueza deste país: de dia para dia, caminha para os 0%.

Moda dos termos

Estou rendida aos termos individuais. Já andava de olho nuns do Starbucks, mas já os esqueci, desde que os meus pais me trouxeram da Alemanha, uma coisinha destas. A juntar-se ao outro termo que o P me ofereceu há semanas, que trouxe daqui, não quero mais nada. Faço cerca de 2 e 3 por dia e não me canso!
Entretanto estive a dar uma espreitadela ao site da Alfi e descobri este termo de Inverno! ♥ Sim, aceito como prenda de Natal atrasada...{para o meu enxoval}.

Noto o seguinte:

Por defeito de utilização do Facebook, estou a ter dificuldades em escrever posts com mais de uma frase. Ai...!

Acontece que...

...voltei a sonhar!

Alguém viu o sol? Hoje o céu acordou pintado de um cinzento mais pálido que o costume e o dia só sabe é chover. Eu bem tento animar-me, mas já sei como é: com eclipse ou não, eu preciso de raios de sol. É imperativo ao meu bem-estar. Verdade!

3.1.11

Verbo crescer

Este fim e início de ano, trouxe-me mais duas lareiras que o costume! Sei que vieram para ficar. É motivo para agradecer.

Tenho um pequeno problema:

Sou friorenta até dizer chega e tenho uma casa absolutamente gelada. Resultado: Invernos deprimentes.

2.1.11

Informo o seguinte:

Encontrei a minha segunda família.